top of page

Nem os fortes ventos

*Por Heverton Lacerda


Porto Alegre, assim como tantas outras cidades gaúchas - e de outros estados e países -, tem sofrido com os fortes ventos dos últimos anos. Além de alagamentos, enchentes, casas destruídas e muitas famílias desabrigadas em consequência dos eventos extremos que estão ganhando força à medida que o clima é modificado e perde seu equilíbrio conquistado ao longo de bilhões de anos, perdemos também nossas árvores.

O recente arboricídio concentrado no Parque Maurício Sirotski Sobrinho, o Harmonia, gera indignação e clamor popular em protesto à destruição de vidas da natureza urbana executada sem dó nem piedade. A devastação de parte do Parque pegou muita gente de surpresa, pois foi feita na surdina, sem a mínima abertura para a população definir o destino de um de seus principais espaços públicos de convivência na cada vez mais concretada e asfaltada Porto Alegre.

O Harmonia foi implantado entre o final da década de 1970 e início dos anos 80. Na época, para marcar a implantação de áreas verdes e respeito à natureza, a Agapan doou à comunidade uma uma árvore que até hoje resiste em frente à Prefeitura. Junto a ela, uma placa que exalta as boas “novas atitudes”. No entanto, as últimas gestões públicas da Capital não fazem jus à honraria, que remete a uma época na qual brotava a esperança de uma cidade mais ecológica. Talvez um dia, quando a consciência ambiental voltar ao Paço e se ramificar para todos os bairros, possamos voltar a comemorar juntos e oferecer novas homenagens. Mas, enquanto as árvores da nossa cidade estiverem sendo maltratadas; mal podadas para enfraquecerem; “enfurquilhadas” para darem lugar a fios; com raízes sufocadas por calçadas espaçosas e derrubadas para fins comerciais, vamos resistir, unidos. A sanha anti-ecológica que infesta nossos bairros e parques faz um estrago muito maior do que os ciclones da evidente crise climática. Nem os ventos são páreos para a atual administração pública quando se trata de destruir a natureza, nem os fortes ventos.


*Artigo do presidente da Agapan, Heverton Lacerda, publicado originalmente no jornal Zero Hora em 20 de julho de 2023



Comments


bottom of page