06 junho 2011

Ambientalistas mantêm manifestações contra novo Código Florestal









Mobilizações têm acontecido em todo o país e objetivam pressionar senadores e sensibilizar a presidenta Dilma Rousseff.











A Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (A gapan), o Movimento em Defesa da Orla do Rio Guaíba, o Ingá – Núcleo de Estudos Ambientais, a A ssembleia Permenante de Defesa do Meio Ambiente (Apedema), o Núcleo de Ecojornalistas do RS, o Levanta Favela e o Grupo Guerreiro foram algumas das organizações que participaram de manifestação contra a aprovação do Código Florestal, organizada pelo Fórum em Defesa do Código Florestal. A exposição de cartazes e banners, criticando o voto dos deputados federais na aprovação das alterações do CódigoFlorestal aconteceu neste domingo, 5, Dia Mundial do Meio Ambiente, no Parque Farroupilha (Redenção), em Porto Alegre.

Além de informar o voto de cada deputado federal gaúcho, quando da aprovação do "novo" Código, no último dia 24 de maio, foram distribuídos panfletos, chamando a atenção para as consequências dessa mudança na lei federal e para a importante participação das pessoas para parabenizarem ou criticarem seus deputados e, agora, como estratégia, para pressionarem os senadores contra essa degradação. Na aprovação das alterações, o relatório de Aldo Rebelo (PCdoB) saiu vencedor, com 410 votos a favor, 63 contra e uma abstenção.

Com faixas criticando a aprovação pelo Congresso

e questionando sobre os motivos para se comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente, os ambientalistas percorreram o Parque, com palavras de ordem, como "Floresta no chão não é a solução". No percurso, várias pessoas aderiram à caminhada. "Aos poucos as pessoas vão se dando conta", analisa Maria da Conceição Carrion, integrante do Fórum em Defesa do Código Florestal. O grupo tem se reunido todas as terças-feiras, a partir das 17h30, na sede do Simpa, em Porto Alegre. Para o encontro do dia 7, a manutenção das mobilizações está na pauta.















Ainda na Redenção, participou o Comitê em Defesa do Rio Pelotas – Uruguai, com apoio do Diretório Acadêmico dos Estudantes de Biologia da Ufrgs, Ingá, Nat – Amigos da Terra e Igré (

MOBILIZAÇÕES MANTIDAS

No sábado anterior, dia 4, centenas de pessoas se reuniram no Largo Glênio Peres para protestar contra o novo Código Florestal. A pé ou de bicicleta, os manifestantes percorreram a avenida Borges de Medeiros até a Praça da Matriz, entre o Palácio Piratini e a Assembleia Legislativa. A manifestação foi organizada pela Vanguarda Abolicionista e seus apoiadores, como integrantes do Massa Crítica.

www.sosriopelotas.wordpress.com).

Veja vídeos da ação em




REPÚDIO
Na Sessão Plenária da Câmara de Vereadores de Porto Alegre do dia 30 de maio de 2011, atendendo a requerimento dos vereadores Fernanda Melchionna e Pedro Ruas (PSol), foi aprovada Moção de Repúdio ao relatório do Código Florestal, apresentado pelo deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

De acordo com o site do Senado Federal, na próxima quinta-feira, dia 9, às 11h, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, abre a série de debates idealizada pelo Senado para resolver uma questão que está dividindo o país: o tratamento a ser dado à cobertura florestal, principalmente nas áreas de exploração agrícola. Izabella Teixeira falará em audiência conjunta das comissões de Agricultura (CRA) e Meio Ambiente (CMA), atendendo à determinação do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), de fazer um exame aprofundado da controversa matéria que acaba de ser aprovada na Câmara dos Deputados.

A Agência Senado informa ainda que o líder do governo, Romero Jucá (PMDB) propõe seis meses de discussões. Pelo mesmo prazo deveria ser prorrogada a entrada em vigor de punições a quem desmatou. A moratória daria tempo às negociações.

A princípio, o PLC 30/11 passará pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), onde será relatado pelo senador Luiz Henrique (PMDB-SC), que também relatará a matéria na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA). O senador Luiz Henrique tem defendido integralmente o texto aprovado na Câmara e diz acreditar que serão feitas apenas pequenas mudanças no Senado. No mesmo sentido, a senadora Kátia Abreu, que preside a CNA (Conferência Nacional da Agricultura), aposta numa tramitação mais rápida do projeto no Senado.

No Plenário, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) tem sido voz contrária ao texto de Rebelo. Ele classifica o PLC 30/2011 como um grande retrocesso. Assim também defendem os ambientalistas, que têm apoio da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e da Academia Brasileira de Ciências (ABC). No sábado, em São Paulo, numa quebra de protocolo, a chefe do secretariado do Fórum das Nações Unidas sobre Florestas, Jan McAlpine criticou a possível aprovação do novo Código Florestal, que está no Senado. "Estas decisões não vão afetar vocês agora, mas elas vão afetar seus filhos e netos", disse Jan, que participou de um evento na capital paulista para a apresentação das atividades desenvolvidas no Brasil durante o Ano Internacional das Florestas e também para o lançamento do Festival Internacional de Filmes de Florestas da ONU. Veja e:

http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2011/06/04/70776-representante-da-onu-critica-aprovacao-de-novo-codigo-florestal.html . Até a União Europeia está preocupada com consequências da aprovação do Código Florestal (http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2011/06/03/70746-uniao-europeia-esta-preocupada-com-consequencias-da-aprovacao-do-codigo-florestal-e-da-construcao-de-belo-monte.html) e cientistas do IPCC, que alertam para o agravamento das mudanças climáticas em http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2011/05/30/70523-codigo-florestal-como-foi-aprovado-na-camara-podera-agravar-mudancas-climaticas-alertam-cientistas-do-ipcc.html



 

Informações

Assessoria de Imprensa da Agapan

Jornalista Adriane Bertoglio Rodrigues

fotos: Cesar Cardia, Vanessa.

www.agapan.org.br



Um comentário:

mesclados disse...

AMBIENTALISTAS, PROTETORES DE ANIMAIS, VEGETARIANOS.

TODAS ESTAS CLASSES SÃO MARIONETES NAS MÃOS DE INTERESSES INTERNACIONAIS E QUEREM IMPOR SEU MODO DE VIDA àS DEMAIS PESSOAS QUE SE ENCONTRAM FORA DE SEUS PADRÕES DE COMPORTAMENTO.
QUEREM RESPONSABILIZAR O BRASIL POR ATITUDES DE SALVADOR DO MUNDO NO CONTEXTO AO MEIO ANBIENTE. SINCERAMENTE, ESTES CITADOS COMO NOVA SOCIEDADE DO SÉCULO 21 SÃO NA VERDADE UMA ONDA NEGRA SATANICA QUE QUEREM SE APOSSAR DE TUDO QUE É RIQUEZA NATURAL E INVADEM AS CULTURAS DOS POVOS ONDE ELES CHEGAM E PERSEGUEM SEUS SEMELHANTES COM LEIS RÍGIDAS E COMUNISTAS.

PARABÉNS PELA APROVAÇAÕ DO CÓDIGO FLORESTAL.